Putin vê chance de acabar com a NATO

Propaganda ocidental sobre acontecimentos na Ucrânia tem dois objetivos principais. Um deles é para encobrir, ou para distrair, o papel de Washington na derrubada do governo democrático eleito da Ucrânia. O outro é para demonizar a Rússia.

A verdade é conhecida, mas a verdade não é uma parte da TV e mídia impressa ocidental. O telefonema interceptado entre o secretário de Estado dos EUA Victoria Nuland eo embaixador dos EUA para a Ucrânia Geoffrey Pyatt revela os dois golpistas discutindo qual dos fantoches de Washington será instalado como pessoa de Washington no novo governo fantoche.

O telefonema interceptado entre o ministro do Exterior da Estónia Urmas Paet e oficial da política externa da UE, Catherine Ashton revelou suspeitas, mais tarde confirmado por relatórios independentes, que o fogo franco-atirador que matou as pessoas em ambos os lados dos protestos Kiev veio do lado de Washington, apoiado do conflito .

Para resumir, quando Washington orquestrou em 2004, a “Revolução Laranja” ea revolução não conseguiu entregar a Ucrânia em mãos ocidentais, Washington, de acordo com Victoria Nuland, derramou 5.000 milhões dolares para a Ucrânia ao longo dos próximos dez anos. O dinheiro foi para políticos, a quem Washington preparado, e para organizações não-governamentais (ONGs) que atuam como educacional, pró-democracia e grupos de direitos humanos, mas na verdade são quinta colunas de Washington.

Quando o presidente Yanukovych, depois de considerar os custos e benefícios, rejeitou o convite para a Ucrânia de aderir à União Europeia, Washington enviou suas ONGs bem financiadas em ação. Os protestos eclodiram em Kiev exigindo que Yanukovych mudar sua decisão e aderir à UE.

Estes protestos foram pacíficos, mas logo os ultra-nacionalistas e neo-nazis apareceu e introduziu a violência nos protestos. As demandas de protesto alterado de “aderir à UE” para “derrubar Yanukovych e seu governo.”

O caos político seguiu. Washington instalou um governo fantoche, que Washington representado como uma força democrática contra a corrupção.

Áreas de sul e leste da Ucrânia são antigos territórios russos adicionado à Ucrânia por líderes soviéticos. Lenin acrescentou áreas russo para a Ucrânia nos primeiros anos da União Soviética, e Khrushchev adicionado Criméia, em 1954. As pessoas nestas áreas russos, alarmados com a destruição de monumentos de guerra soviético que comemora a libertação do Exército Vermelho da Ucrânia a partir de Hitler, pela proibição de russo como língua oficial, e agressões físicas em pessoas de língua russa na Ucrânia eclodiu em protestos.Criméia votou sua independência e pediu a reunificação com a Rússia, e por isso têm as regiões Donetsk e Luhansk.

Washington, seus fantoches da UE, e os meios de comunicação ocidentais negaram que os votos a Crimeia, Donetsk e Luhansk é sincero e espontâneo. Em vez disso, Washington alega que os protestos que conduzem aos votos e os próprios votos foram orquestradas pelo governo russo com o uso de subornos, ameaças e coerção. Criméia foi dito ser um caso de invasão russa e anexação.

Estes são mentiras descaradas, e os observadores estrangeiros das eleições conhecê-lo, mas eles não têm voz na mídia ocidental, que é um Ministério da Propaganda para Washington. Mesmo a BBC, uma vez orgulhoso fica para Washington.

Washington conseguiu controlar a explicação da “crise ucraniana.” Os povos unificados em Crimeia, Donetsk e Luhansk foram marcados “terroristas”. Em contraste, os ucranianos neo-nazis foram elevados para participação no “coligação democrática. “Ainda mais surpreendente, os neo-nazis estão sendo descritos na mídia ocidental como” libertadores “das regiões de protesto de” terroristas “. Provavelmente, as milícias neonazistas Russophobic estão se tornando o exército do governo fantoche de Washington, porque muitas unidades de os militares ucranianos não estão dispostos a disparar contra manifestantes pacíficos.

A questão diante de nós é como é que o líder da Rússia, Putin, jogar este jogo. Sua hesitação ou relutância em aceitar Donetsk e Luhansk novamente como parte da Rússia é usado pelos meios de comunicação ocidentais para fazê-lo parecer fraco e intimidados. Na Rússia, isso vai ser usado contra Putin por ONGs Washington-financiados e por nacionalistas russos.

Putin entende isso, mas Putin também entende que Washington quer que ele para confirmar seu retrato demonizado dele. Se Putin aceita solicitações de Donetsk e Luhansk para voltar para a Rússia, Washington vai repetir sua alegação de que a Rússia invadiu e anexou. O mais provável, Putin não é fraco e intimidados, mas por boas razões, Putin não quer dar Washington mais propaganda para empregar na Europa.

Imprensa de Washington estabelece sanções contra a Rússia tem um obstáculo na Alemanha. A chanceler alemã, Angela Merkel, é vassalo de Washington, mas o ministro do Exterior da Alemanha, Frank Walter Steinmeier e indústria alemã há amigos de sanções. Além de dependência da Alemanha em gás natural da Rússia, milhares de empresas alemãs estão a fazer negócios na Rússia, eo emprego de várias centenas de milhares de alemães é dependente das relações económicas com a Rússia. Ex-chanceleres alemães Helmut Schmidt e Gerhard Schroeder já bateu Merkel por sua subserviência a Washington. A posição de Merkel é fraca, porque ela colocou-se na posição de sacrificar os interesses da Alemanha aos interesses de Washington.

Putin, que demonstrou que ele não é o típico político ocidental mudo, vê no conflito entre a pressão de Washington sobre a Alemanha e os interesses reais da Alemanha a chance de quebrar a NATO ea UE. Se a Alemanha decidir, como Yanukovych fez, que os interesses da Alemanha se encontram em suas relações económicas com a Rússia, não em ser um estado fantoche de Washington, Washington pode derrubar o governo da Alemanha e instalar um fantoche mais confiável?

Talvez Alemanha teve o suficiente de Washington. Ainda ocupada pelas tropas de Washington 69 anos após o fim da Segunda Guerra Mundial, a Alemanha teve suas práticas educativas, sua história, sua política externa, e sua adesão à UE e mecanismo euro coagido por Washington. Se os alemães têm qualquer orgulho nacional – e como um povo muito recentemente unificadas, eles ainda podem ter algum orgulho nacional – essas imposições de Washington são demais para aceitar.

A última coisa que a Alemanha quer é um confronto, econômica ou militar, com a Rússia. Vice-chanceler da Alemanha, Sigmar Gabriel, disse que “certamente não foi inteligente para criar a impressão de que na Ucrânia ele teve que decidir entre a Rússia ea União Europeia.”

Se o governo russo decide que o controle de Washington da Ucrânia, ou qualquer parte permanece após a separação, é uma ameaça estratégica inaceitável para a Rússia, os militares russos vão aproveitar Ucrânia, historicamente parte da Rússia.Se a Rússia ocupa a Ucrânia, não há nada de Washington pode fazer, mas recorrer à guerra nuclear. Países da OTAN, com a sua própria existência em jogo, não vai concordar com esta opção.

Putin pode assumir a Ucrânia de volta sempre que ele quer e virar as costas para o Ocidente, uma entidade corrupta declínio atolada em depressão e saques pela classe capitalista. O século 21 pertence ao Oriente, para a China e Índia. A enorme extensão da Rússia fica acima ambos mais populoso de todos os países.

Rússia pode subir ao poder com o Oriente. Não há nenhuma razão para a Rússia para implorar o Ocidente para aceitação.A base para a política externa dos EUA são as doutrinas Brzezinski e Wolfowitz, que afirmam que Washington deve impedir a ascensão da Rússia. Washington não tem boa vontade para com a Rússia e vai dificultar a Rússia em todas as oportunidades.

Enquanto Washington controla a Europa, a Rússia não tem perspectivas de ser uma parte do Ocidente, a menos que a Rússia se torna estado fantoche de Washington, como a Alemanha, a Grã-Bretanha e França.

Fonte: Press TV

Link da noticia original: http://www.presstv.ir/detail/2014/05/25/364071/putin-sees-chance-to-break-up-nato/

Anúncios

Deixa um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s