O TRATADO DE LISBOA E A U.E. QUER O POVO DIZIMADO?

Além da U.E. ter proibido semear e mandar a fome matar, os transgénicos descobertos pelos biólogos moleculares, em 1930, da Universidade Rockefeller, pertencente ao Império das supremas elites intocáveis, são explorados com multiplas vantagens, tais como:  1) Os transgénicos contêm veneno que mata, presentes nas rações e no corpo dos comedores de carne de animais que comeram essas rações (LIVRO ROLETA GENÉTICA). E também passa pelo sofrimento e pela doença lucrativa de médio e longo prazo, a favor da indústria farmacêutica e da medicina; 2) Nos transgénicos não há ruídos. São subrepticios e não se comparam com o estrondo e a monstruosiodade das bombas nucleares que dizimaram muitas centenas de milhares de japoneses em Hiroshima e Nagasaki; 3) O custo de produção dos transgénicos é muito inferior ao das bombas nucleares; 4) Relativamente ao veneno OGM, não há altos encargos com os milhares de incapacitados radioactivos; 5) A América incendiou com bombas incendiárias e napalm, 78 cidades e milhares de aldeias, durante 37 meses sob comando do general Curtis Le May. Ela queimou e dizimou 9 milhões de residentes e deixou em ruínas a toda a Coreia do Norte, onde continuam a morrer à fome; 6) Na página 561 com o título “O PLANO ABATE” do livro “RAÇA HUMANA ERGUE-TE” de David Icke, informa que a ONU irá abater seis biliões de pessoas, conforme se deduz do seu seguinte rascunho: A versão do rascunho da avaliação global para a biodiversidade das Nações Unidas, apela a uma redução da população mundial para um bilião.Acabamos de relatar casos arrepiantes de japoneses dizimados em Hiroshima e Nagasaki, sendo que dizimaram na Coreia do Norte nove milhões de residentes. Dresden, na Alemanha, foi toda incendiada pela aviação americana, que dizimou 150.000 alemães. Faltam os 6.000 biliões que a ONU prevê dizimar. Não é por acaso que o TRATADO coincide com a tramóia da provincia que Portugal passou a ser. Foi fabricada pela falsidade de uma intencional má fé dum TRATADO premeditado para dar sequência aos factos históricos atrás citados, que vêm preparar a destruição de Portugal e a desorientação do povo. Neste contexto, é recomendável analisar os acontecimentos e descobrir se há dolo e se deve ou não ser julgado: Se Portugal minguou, tanto que só é provincia, então sequestraram-lhe o estatuto de Estado-Nação e tacitamente coagiram-no a aceitar que Portugal caducou. Se houve sequestro do estatuto de Estado-Nação, o TRATADO deve ser acusado pela prática desse crime de sequestro ou extorsão. Se houve coacção tácita na aceitação da caducidade de Portugal (pois ele só é provincia), então o crime de coacção tem de ser julgado.

Só se sabe que o TRATADO DE LISBOA pode esbulhar nações e o seu povo. Tal ferocidade, equivale a desmantelar o Estado-Nação, resultando no genocidio do povo o que não pode ficar impune. Vigora um Estado de Direito que foi criado para impedir qua a impunidade se concretize. Até agora, essa impunidade continua. Ela só se pode explicar, porque quem dirige o Estado de Direito, desconhece o que denunciamos neste texto. Esse desconhecimento é devido à censura e às lavagens cerebrais dos média, etc. Se todo este texto não for elucidativo, esta Associação completa a informação nos livros e cadernos que escreveu, ou em: (www.cultodoconhecimento.wordpress.com).

Por outro lado, a austeridade galopante é outro crime, que deve ser igualmente criminalizado, porque pilha ao povo todos os seus meios e esgota-o de todos os recursos alimentares, para a fome o exterminar. Além disso, estão programados outros meios de exterminio. A cadeia alimentar está envenada pelas rações transgénicas, pelo aspartame e pelo glisofato. A entrada de Portugal na U.E. coincidiu com o descalabro na governação. Este país passou a ser o paraíso do veneno transgénico.

Há outros meios de exterminar a vida do povo, que a CIA controla, ao encher os céus com chemtrails, despejando venenos de dezenas de depositos carregados em aviões, tais como: particulas nano, bário, aluminio, sendo que os recursos hidricos e agrícolas são contaminados. Os bárbaros recorrem a todos os expedientes para intensificar o envenenamento do povo. Pois, introduziram sais de aluminio nas vacinas da gripe, como o Timerosal (mercurio), que é um veneno letal. E essas vacinas também estão envenenadas com hidroxido de alumínio, que degenera os motoneuronios, o que causa danos cerebrais. (Página 574 do livro “RAÇA HUMANA ERGUE-TE” de David Icke). Na Républica Checa, morreram todos os furões através duma vacina, que continha um virus letal, fornecido pela OMS. (Página 568 do mesmo livro). A revista Ecologiste afirmou que a OMS aprovou a ingestão de alimentos radioactivos. Matar idosos é a politica do Obama (Página 558 do mesmo livro). No outono de 2009, morreram na Ucrânia centenas de pessoas, vitimas de um virus letal da gripe suína, com os pulmões destruídos, chamada arma biologica da autoria do laborátorio BAXTER. (Página 580 do mesmo livro).

Se o TRATADO DE LISBOA, pulveriza os Estados-Nações e os reduz a cacos, e nem a Alemanha escapa a uma longa história ao ser uma empresa e uma colónia das elites. Há mais crimes de desintegração cometidos por uma entidade criada por marionetes, obedientes à voz do dono. Os Tribunais devem abrir um inquerito para determinar quem faz parte da organização de malfeitores, dirigida pelas supremas elites de insaciáveis, e julgá-los pelos seus crimes..

Há várias nações africanas, que foram abolidas como Estados-Nações, ao ficarem ingovernáveis e imobilizadas pelos tentáculos do Polvo belicista, que delas se apoderou. Outras no Norte de Africa e no Médio Oriente, são candidatas a Estados-Nações falhados sem direito a existir. Entre elas, destacam-se os seguintes: Libia, Siria, Iraque, Paquistão e Líbano. A primeira foi derretida pelos bombardeamentos selvagens da América e da França, e pela secreta invasão inglesa. Siria e Iraque são vitimas da selvajaria terrorista, ambos sujeitos à chacina anglo-saxónica e do ditador francês apoiante da tirania saudita e do sionismo israelita.

O TRATADO DE LISBOA, adoptou a mesma táctica politica, relativamente a este novo cenário dos Estados-Nações falhados, sempre que os predadores determinam que esses Estados-Nações são inviaveis. Pois o TRATADO ao catalogar cá o Estado-Nação como provincia, falhado ficou e inviabilizou-o. Deste modo, os dirigentes do TRATADO ao torná-lo inviável, são responsaveis pela sua dissipação, e como coniventes devem ser julgados pela sua intervenção.

Estes defeitos que foram observados pelos interpretes do TRATADO DE LISBOA, só pode tê-los levado a concluir, que a viabilidade de Portugal como Estado-Nação falhado não podia subsistir, o que corresponde a um ultimato que contém uma sentença de morte de Portugal que será executada pelo seu abate e desse abate só sobra uma provincia desmiolada, sem pés e cabeça. Os meios modernos de abate verificam-se na Siria e no Iraque, etc. onde esse abate ocorre, vitimizando muitas dezenas de inocentes por dia, executados à bomba em carros armadilhados. Nesta provincia rectangular da Peninsula Ibérica, a bancarrota que a roubalheira dos donos da U.E. maquinaram, atinge os dois países que obriga à redução de custos. Assim, só se entende que nada quererem gastar. E decidam usar só uma corda para enforcar, estrangular e assassinar o Estado-Nação de Portugal. Mas, assassinar um Estado-Nação, corresponde a tê-lo desvitalizado e aplicado um golpe de Estado de salvaguarda, e à preparação duma Ditadura, que se manifesta no ataque à dignidade, e identidade dos direitos de cidadania que se converterão na perda nos seus direitos de intervenção, e em consequencia desta escalada, a garantia do direito à posse dos seus bens corre o risco de ser executada pela falsidade do judaísmo que estabeleceu querer apoderar-se da propriedade alheia sem hesitação. (Protocolo 2)

Ainda que o TRATADO DE LISBOA disponha de poderes discricionários, parte do povo português começa a aperceber-se que existe uma conjura, que começou há cerca de 150 anos, agravada desde 1914, uma vez que a 1ª e 2ª guerra mundial prosseguiram com tanta intensidade, que os malfeitores espalharam no Planeta, cerca de 800 bases militares para o dominar. Ora, esse povo pode exigir, que o assassinato de Portugal seja julgado, e que todo este processo seja revisto afim de Portugal recuperar o seu lugar histórico, que Camões descreveu.

Portugal também tem que recuperar a enorme fortuna, que lhe foi roubada e lhe causou a bancarrota, através da burla dos swaps com “AAA”, e nada valiam, enquanto a Banca ficou insolvente com a extorsão de 2007/2008. A Banca só não fechou a porta, porque foi financiada com o dinheiro roubado pelos burlões, que passaram a ser seus credores.

As marionetes governamentais, enfeudadas à supremacia intocável, impingiram desde 2007, que os emprestimos que vinham do dinheiro roubado pelos donos do Mundo, deve ser pago. Trata-se de pagar uma dívida inexistente e ao não pagar os biliões é defender os interesses do país e evitar a ameaça da fome. Em vez disso, sentem-se à vontade para pagar o que não devem. Tal incoerencia indica que preferem optar por beneficiar de contrapartidas o que confirma que eles se sentem protegidos pela supremacia dos intocáveis aliados aos valores entendidos, à qual se poderá chamar uma associação criminosa dos poderosos com impunidade garantida.

Se recordarmos a posse fraudulenta pelos supremos intocáveis do Federal Reserve System, em 23/12/1913, que permitiu aos donos do Mundo fabricar dólares, e com eles, encher barcos para os entregar aos três beligerantes das duas guerras mundiais, fica entendido que esta tramoia anuncia um cambalacho monumental do Banco FED que é privado, único emissor de moeda que financia o Tesouro americano. Deste modo, o Federal possuído pelos supremos intocáveis, passa a ser o dono da América. Além deste escandalo, os intocáveis beneficiam de várias assistências financeiras fraudulentas, que enchem os cofres  dos bancos poderosos que lhes pertencem.

É pois indesmentível que os supremos intocáveis, são os autores desta grande burla. Mas, como a sua extrema ganância não foi suficiente para os satisfazer, fabricaram os swaps de “AAA” para roubar Portugal e o Mundo, na burla dos Swaps de 2007, com a dupla intenção de se apoderarem de quadriliões de dólares, já reconhecidos pelo BIS – Bank Internacional of Settlement (Pág. 69 do livro “Global Economic Crisis”) para poder financiar uma rede terrorista de facínoras tão gigantesca que age nas Américas, Europa, Africa, Asia, Médio e Extremo Oriente.

1)  Esses quadriliões roubados e retidos, suga a liquidez a países e bancos;

2) Estagna a circulação fiduciaria e todas as actividades, que esmifra e arruina o povo;

3) Causa a austeridade galopante, acompanhada do aumento de impostos sucessivos, e do desemprego e do fecho do comércio e indústria, reflectido numa ansiedade e pesadelo dum futuro que desapareceu;

4) Resistem os preveligiados e quem se acautelou com as poupanças;

Além desta esmagadora burla, outras subsistem numa U.E. fraudulenta, onde se distingue o Parlamento Europeu, sem poderes delibertaivos, fundado pelo agente Donovan da CIA, e por ela vigiado, e com ela convivem um viveiro de deputados acomodados. A U.E. construiu até agora uma ninhada de proezas na legalização dos venenos transgénicos pelo painel dos oito servos da Monsanto, e da lei genocida do comité da sociedade secreta Távola Redonda, que proíbe semear, e de muitas outras que delegam o poder às multinacionais, possuídas pelos atrás referidos intocáveis. Consequentemente, a associação criminosa começa na U.E. e os seus efeitos repercutem-se no ignóbil Tratado de Lisboa.

A lei genocida da U.E ao proibir semear e exigir o fim do cultivo, mandatou o assassinato do povo, que sem produção, fica impedido de se alimentar. O governo já declarou que vai obedecer a proibição estipulada pela U.E.. A dita proibição está a ser silenciada pelas autarquias, midias, etc., sendo que a maioria dos agricultores a desconhecem.

Por todas estas razões, só pode socorrer o povo de ser vitima dum genocidio anunciado, se um milagre ocorrer. Até agora, há um número razoável de constestários, mas muito insuficiente para enfrentar com sucesso esta problemática.

Sabemos que existe um Estado de Direito que foi criado para intervir nos Tribunais e sempre houve juristas que se comoveram e defenderam gratuitamente os presos políticos que lutavam pela liberdade de expressão, durante a ditadura salazarista.

Se a U.E. apadrinha a brutalidade dos mercenários infiltrados na Ucrânia e intervem na invasão da Républica Central Africana, convém relatar os seguintes factos:

1) Muitos milhares de libios já foram dizimados e aos sirios e aos iraquianos acontece o mesmo; 2) Morrem por dia 85,000 africanos, vivem na extrema pobreza cinquenta milhões de americanos; 3) Vinte milhões de americanos foram dizimados pela fome na bancarrota de 29. Nessa ocasião, um leilão deu a posse de 21.000 bancos por um dólar cada um, aos intocáveis, o que pode ter contribuido para o exterminio dos vinte milhões de americanos; 4) Se a maioria dos bancos do Mundo estão insolventes, devido à burla dos Swaps de “AAA” em 2007, quantos bancos irão desta vez a leilão por um dólar. Em consequencia disso, quantos cidadãos do Mundo irão ser dizimados pela fome; 5) Estas informações estão documentadas nos livros: “GLOBAL ECONOMIC CRISIS”, “ALICE NO PAÍS DAS MARAVILHAS”, “GODS OF MONEY”, “PORTUGAL ROUBADO E NO LIXO”, etc;

Esta estatistica parece convincente para despertar a prevenção e evitar a matança que a U.E. já legalizou. Sobre este assunto, deve ser apresentada uma queixa aos juízes dos Tribunais para abrir um inquerito à matéria de facto, descrita neste texto. Um estudo de toda a nossa documentação por juristas de boa vontade, é crucial.

Anúncios

Deixa um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s