Excertos do capitulo 7 do livro “Raça Humana Ergue-te” de David Icke (págs. 153-155)

Arábia Rothschild

Nunca pensaste porque é que a “casa” do Islão, a Arábia Saudita, nada diz e nada faz acerca daquilo que está a ser feito ao mundo árabe? Existe um motivo para isso. A casa de Saud é mais uma fachada da Casa de Rothschild e eles nem sequer são “árabes” nem “muçulmanos”. Eles são sionistas Rothschild, que podem ser localizados até um homem judeu, chamado Mordakhai bin Ibrahim bin Moshe. Os investigadores dizem que no ano de 851 d.C., os membros do clã árabe Al Masaleekh formaram uma caravana comercial e que se encontram com Ibrahim bin Moshe, um mercador em Basra, agora Iraque. Mordakhai era Judeu, mas disse-lhes que pertencia ao seu clã e que se tinha descolado para Basra, depois de uma disputa familiar. Perguntou-lhes se se podia juntar a eles na sua viagem até Najd, na Arábia, onde mudou o nome e se fixou, na cidade de Al-Dir’iyyah, ou Diriyah, de onde proveio o fundador da actual Casa de Saud, segundo conta a história oficial. Mordakhai conseguiu reunir apoios entre as tribos Beduínas e autodeclarou-se como o seu Rei, sugere esta investigação. Algumas tribos resistiram e atacaram Al-Dir’iyyah. Mordakhai foi obrigado a fugir e a abrigar-se numa quinta perto de Al-Arid, que é agora a capital da Arábia Saudita, Ríade. No espaço de um mês, segundo se diz, ele matou o agricultor, atribuiu as culpas aos ladrões e assumiu a propriedade como sua, à qual chamou Al-Dir’iyyah, a própria cidade de onde foi obrigado a fugir. Mordakhai, que afirmava agora ser um Sheik Árabe, começou a gerar a fenomenal riqueza que a Casa de Saud ainda hoje detém e a sua família assegurou a conquista de porções de terreno cada vez maiores, através da violência, do assassínio e do engano. Eles forjaram também uma falsa história e árvore genealógica, para que fosse escrito que a família estava ligada à realeza árabe e que descendia do próprio profeta Maomé. Um dos filhos de Mordakhai, Al-Maraqan (que se pensa descender do nome judaico Mack-ren), teve 2 filhos, chamados Maomé e Saud, de onde tem origem o nome da actual dinastia, dizem os investigadores. A Casa de Saud continuou com os roubos e as matanças, até chegar ao seu objectivo de controlar toda a Península Árabe. A Casa de Saud é uma ditadura fascista da pior espécie. Tal como um investigador árabe escreveu:

Eles deram a toda a Península Árabe o seu nome de família, como se toda a região fosse a sua propriedade privada e todos os seus habitantes fossem os seus escravos e servos, trabalhando dia e noite para satisfação dos seus amos (a família Saud). Eles retêm as riquezas naturais do país como se fossem a sua propriedade.

Se alguma pessoa pobre ou comum levantar a sua voz em protesto contra as regras despóticas desta dinastia Judaica (Sionista Rothschild), a família corta as suas cabeças na praça pública. Uma das suas princesas visitou uma vez a Florida, nos EUA, com a sua comitiva; ela alugou 90 suites no Grand Hotel, por cerca de um milhão de dólares por noite! Algum dos súbditos pode comentar esta atitude extravagante? Se o fizesse, saberia bem o seu destino: a morte no gume da espada Saudita, na praça pública.

O credo do “Islamismo” extremista usado para justificar estas barbaridades, é o Wahhabismo, palavra que provém do nome de um homem, que também se diz ter sido Judeu, chamado Muhammad Ibn Abd-al-Wahhad. Ele formou uma nova força política brutal com Muhammad Bin Saud, no século XVIII. A Casa de Saud lutou pelo controlo da Arábia durante 180 anos, antes de ter fundado a actual dinastia e o Reino da Arábia Saudita, em 1926 (mais formalmente em 1932), com o Rei Abdul Aziz Bin Saud. Eles são Sionistas Rothschild, que trabalham para a dinastia Rothschild. É por isso que são tão próximos da América e da família Bush (Sionistas Rothschild); que apoiam os EUA nos seus assaltos ao Médio Oriente; que chamam aos Israelitas seus “primos” (esta é verdade); e que em 2009 deram a Israel a cedência do seu espaço aéreo, caso Israel quisesse atacar o Irão. O Daily Telegraph sugeriu também, numa reportagem de 2009, que o Presidente Iraniano, Mahmoud Ahmedinejad, provém de uma família judaica chamada Sabourjian, um nome comum entre os Judeus Iranianos. Isso explicaria o porquê das palavras e acções de Ahmadinejad, que alimentam as acções Sionistas Rothschild, que afrontam o Irão. Contudo, não consegui confirmar a sua ascendência e isto pode não estar correcto. Tudo isto não é ser paranóico – é ter olhos na cara. Lembra-te sempre que o mundo que vês na televisão e aquele sobre o qual ouves falar nos discursos políticos, não passa de um filme realizado pelos Rothschild e pelas suas linhagens sanguíneas.

Advertisements

Deixa um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s